Pelo Corredor da Escola

Apontar temáticas do cotidiano escolar é o objetivo primeiro deste blog, na intenção de ser "elo" entre as partes envolvidas (aluno/professor). A reflexão é o nome deste elo, que não só une, mas debate e critica os principais livros do Brasil e do mundo.

Para maiores informações falar com o Prof. Israel Lima

israellima7.4@bol.com.br

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Dia da Consciência Negra. E Eu Com Isso?

Na Sequência: Flávia, Solange e Eu, Israel Lima.




Silvinha (minha namorada)



Eu, Prof. Israel Lima e Silvinha, minha namorada.


Este é um dia propício à reflexão. Principalmente por se tratar de gente! Gente que tem a mesma capacidade de outa, cuja pele é "branca". Gente guerreira, cansada de tantas injustiças.
Que desde os primórdios da humanidade sofre, que reivindica...


Todas às vezes, que aparece um projeto, que, de alguma forma, beneficia a população negra, na verdade, vira polêmica! A cor da pele, não deveria ser obstáculo, pois o que diferencia um ser é a sua capacidade. Capacidade em seu sentido enciclopédico! Abaixo, nas próximas postagens, seguem algumas matérias relacionadas com esta temática.



Reflitamos!


Prof. Israel Lima

Diretrizes para educação das relações étnico-raciais não chegam até sistemas de ensino


“Falta muito para Lei n°10.639/03 ser institucionalizada dentro dos sistemas de ensino. Ainda há uma distância grande entre os gestores educacionais e a lei. Há desconhecimento do caráter da legislação e resistência para sua implementação”, afirma a professora da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e coordenadora do Programa de Ações Afirmativas na UFMG, Nilma Lino Gomes. A Lei n°10.639/03 torna obrigatório o ensino de cultura e história afro-brasileira nos sistemas de ensino. Outros dois instrumentos legais foram criados para orientar as instituições educacionais nessa direção: o Parecer do CNE n° 03/2004 e a Resolução n° 01/2004. De acordo com a pesquisadora, se por um lado a lei ainda não está enraizada nas redes estudais e municipais, por outro, já começa haver nas escolas um maior envolvimento de profissionais para implementação da lei e das diretrizes curriculares para Educação Étnico-raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-brasileira e Africana. “Se houvesse uma postura de indução das secretarias de educação, o trabalho seria mais positivo”, afirma Nilma. Segundo a professora, a indução poderia ser por meio de projetos e de distribuição de recursos. Os sistemas também poderiam verificar quais são as lacunas em relação às temáticas e realizar formações para docentes em parceria com as universidades.
Pesquisa - Para chegar a essas sinalizações, o programa de Ações Afirmativas na UFMG coordena a pesquisa “Práticas Pedagógicas de Trabalho com Relações Étnico-Raciais na escola na perspectiva da Lei 10.639/0”, encomendada pelo Ministério da Educação (MEC) e pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO). “Um dos objetivos é verificar o grau de institucionalização da lei nos sistemas de ensino”, disse Nilma. Para mapear e analisar trabalhos desenvolvidos pelas escolas públicas e pelas redes de ensino, foram aplicados questionários aos gestores estaduais e municipais. Os pesquisadores também recolheram indicações de práticas via Secretárias de Educação, Núcleos de Estudos Afro-Brasileiros (Neabs) e Centro de Estudos de Relações de Trabalho e Desigualdade (CEERT). Foram selecionadas 36 escolas de todas as regiões brasileiras para estudo de caso. No momento, os pesquisadores estão preparando o relatório final. Os resultados devem ser divulgados no início de 2010. O coordenador do programa de educação e políticas públicas do CEERT, Antonio Carlos Malachias, aponta outro desafio: institucionalizar as práticas dentro das escolas. “Muitas experiências são iniciativas individuais dos professores”. O que contribui para descontinuidade de projetos em caso de transferência do professor. Para estimular iniciativas da gestão escolar, o CEERT incorporou no prêmio “Educar para Igualdade Racial” a categoria escola. “A premiação foi criada em 2002. Após a lei, um dos critérios de seleção das práticas pedagógicas é o diálogo com as diretrizes do MEC”. Hoje o Centro reúne um banco de 1.073 experiências. Podem se inscrever no prêmio escolas públicas e privadas da Educação Básica. “O que notamos também é que muitas instituições particulares não são demandadas, nem entendem que essa temática é de interesse da escola”, ressaltou Malachias.
Plano de Implementação - Como a adoção da lei e das diretrizes não se universalizou nos sistemas de ensino, MEC, Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR), em diálogo com os movimentos sociais e outros atores sociais ligados à educação, elaboraram o Plano Nacional de Implementação das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e Ensino da Cultura e História Afro-Brasileira e Africana, lançado no dia 13 de maio de 2009, em Brasília (DF). Para a coordenadora do programa Pesquisa e Monitoramento da Ação Educativa, Denise Carreira, o plano significa uma mudança efetiva da agenda da política nacional. “Tira a armadilha do específico. O enfrentamento do racismo é central para agenda educacional e deve perpassar todas as políticas educacionais”. Além do fortalecimento do marco legal, o plano se apresenta como mecanismo indutor de políticas e práticas. “Também conversa com os sistemas de educação e estabelece a quem compete o quê”, destaca Malaquias. “Articula as diferentes instâncias educacionais que precisam atuar em conjunto para implementação da lei”, complementa Nilma. De acordo com Denise, um dos avanços do Plano é estabelecer a criação de uma rubrica para recursos orçamentários, oferecendo condições institucionais para implementação da lei. Outro eixo fundamental refere-se à política de formação inicial e contínua de professores e também de materiais didáticos. O documento determina ainda que as secretarias estaduais de educação instituam equipes técnicas para os assuntos relacionados à diversidade, dotadas de recursos orçamentários. “O grande desafio é ampliar a divulgação do Plano e pressionar para que as metas no âmbito do MEC já sejam implementadas”, lembra Denise. Segundo o coordenador do CEERT, as Conferências Estaduais de Educação têm sido um momento para divulgação. “O plano foi discutido e aprovado em São Paulo, Rio Grande do Sul e caminha para outros estados. Os movimentos sociais incorporaram o Plano como instrumento de interlocução com a Conferência Nacional de Educação”. A coordenadora da Ação Educativa comenta que a expectativa é que o Plano de Implementação das Diretrizes sirva de base para o Plano Nacional da Educação, efetivando assim a temática étnico-racial em um plano de Estado.

(Extraído do Site Clipping Educacional - Portal Aprendiz, 19/11/2009 - Talita Mochiute)

Brasil tem mais de 22 mil cotistas negros em faculdades públicas; eles representam 1,7% do corpo discente das públicas


O Brasil tem, atualmente, mais de 22 mil alunos negros matriculados em faculdades públicas que ingressaram no ensino superior graças às cotas raciais, segundo levantamento foi feito pelo professor da UnB (Universidade de Brasília) José Jorge de Carvalho. O número representa 1,7% do total de 1.240.968 alunos matriculados em IES (Instituições de Ensino Superior) públicas, registrados no Censo da Educação Superior de 2007. O censo reúne dados de 2008 com referência à situação observada em 2007. "É a maior revolução do ensino no Brasil, mas ainda é pouco", diz o antropólogo. "Nos últimos sete anos ingressaram mais negros nas universidades públicas do que nos 20 anos anteriores. Muitas pessoas não têm consciência da intensidade da revolução que é termos mais negros e indígenas nas faculdades", afirma. Segundo os dados pesquisados por Carvalho, das 249 instituições públicas brasileiras, 93 (37,3%) já oferecem ações afirmativas, como bônus na pontuação das provas ou cotas raciais ou para alunos de baixa renda ou provenientes de escolas públicas. Dentre essas instituições, 67 (26,9% do total) oferecem cotas voltadas a negros e indígenas. Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), 6,5% da população é preta (denominação utilizada pelo instituto). O professor também ressalta a importância do Prouni (Programa Universidade Para Todos), que oferece bolsas de estudo em instituições particulares, para a inclusão de afrodescendentes: em três anos de aplicação do programa, que funciona desde 2005, dos 380 mil alunos beneficiados, 45% eram pardos ou negros. Cotas na UnB - José Jorge participou da elaboração dos parâmetros do sistema de cotas da UnB, o pioneiro do país. O docente também coordena o INCT (Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia) que pretende estudar formas de inclusão dos negros no ensino superior e na pesquisa acadêmica das faculdades e universidades. O instituto será um observatório do impacto que as ações afirmativas têm onde já estão sendo aplicadas. O episódio que inspirou a criação do sistema de cotas da UnB foi a reprovação de Arivaldo Lima Alves, primeiro aluno negro a fazer doutorado em antropologia na UnB em 1998. Ele foi aprovado posteriormente, mas passou por "circunstâncias difíceis", que o professor José credita como "racismo". "Foi a primeira vez que eu fiz um censo dos professores negros da UnB: de 1.500 docentes, apenas 15 eram negros, e em outras universidades a porcentagem não passava longe desta, de 1%", explica. Em 2003, a UnB inaugurava o sistema de cotas na instituição. O número mostrava a baixa participação da etnia, desproporcional à representação dos afrodescendentes na sociedade; daí viria a inspiração para o sistema. Segundo dados da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) divulgados em setembro deste ano, a população brasileira (189,8 milhões) está dividida na seguinte proporção: 48,8% branca, 6,5% preta, 43,8% parda e 0,9% amarela/indígena/sem declaração.
Opositores - Em 21 de julho, o Democratas (DEM) entrou com pedido no STF (Supremo Tribunal Federal) para que houvesse a suspensão das cotas da universidade, alegando que os critérios do sistema seriam "dissimulados, inconstitucionais e pretensiosos". O pedido foi negado, mas o mérito do caso ainda deve ser julgado no ano que vem, após audiências que ocorrerão nos dias 3, 4 e 5 de março. No Rio de Janeiro, em maio deste ano, o TJ (Tribunal de Justiça) havia suspendido os efeitos da lei de cotas do Estado (5.346/2008). No mês seguinte, diante de uma questão de ordem suscitada pelo governo, e para evitar prejuízos aos estudantes que já estavam inscritos nos vestibulares 2010, os desembargadores decidiram que a suspensão entraria em vigor a partir de 2010. No dia 18 de novembro, o Órgão Especial do TJ do Rio declarou que o texto é constitucional. E as cotas voltaram a valer no Estado carioca. A lei, que entrou em vigor em dezembro de 2008, beneficia estudantes carentes negros, indígenas, alunos da rede pública de ensino, portadores de deficiência física e filhos de policiais civis e militares, bombeiros e inspetores de segurança e administração penitenciária, mortos ou incapacitados em razão do serviço. Seu prazo de validade, segundo a Justiça, é de dez anos. Há, também, em tramitação na Corte, um recurso em que se debate o sistema de reserva de vagas para estudantes do ensino público e para estudantes negros adotado pela UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul). *Com informações da Folha Online e da Agência Brasil.

(Extraído do Site Clipping Educacional -Portal UOL Educação, 20/11/2009 - Ana Okada em São Paulo )

Inclusão: Reivindicação da Raça Negra


Nesta sexta, 20 de novembro, será comemorado o Dia Nacional da Consciência Negra. A data, feriado em mais de 700 municípios brasileiros, é uma alusão ao dia em que o líder negro Zumbi foi assassinado em 1695 e lembra a luta dos negros pela liberdade e igualdade. Da morte de Zumbi ao dias de hoje se passaram 314 anos. Neste espaço de tempo, os negros conseguiram a liberdade, já que em 13 de maio de 1888 foi assinada a Lei Áurea, mas a assinatura da lei não significou igualdade e ainda hoje os negros lutam para garantir seus direitos. Entre eles o acesso à educação de qualidade. Na esfera do ensino superior algumas conquistas foram obtidas, como a reserva de vagas para negros em universidades públicas. A primeira iniciativa surgiu em 2001, na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj). Hoje, são mais de 60 instituições que adotam alguma política de benefício para o ingresso de negros no ensino superior. A política de cotas ainda recebe críticas, mas vai se consolidando como uma forma de combater a desigualdade. "O sistema de cotas raciais, onde foi adotado, não ocasionou uma divisão entre alunos cotistas e não-cotistas. Após a adoção pioneira desta política pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e pela Universidade de Brasília (UnB), podemos afirmar que a medida foi bem recebida no ambiente acadêmico, principalmente graças à abertura e à generosidade da juventude brasileira", comenta o ministro da Igualdade Racial, Edson Santos.
Segundo ele, um estudo realizado junto às instituições de ensino superior do Estado do Rio de Janeiro que adotaram o sistema de cotas, demonstra que o coeficiente de rendimento médio dos alunos cotistas é tão bom quanto o dos demais alunos. "E quanto à evasão escolar, as taxas têm sido semelhantes", comenta o dirigente, lembrando que tramita atualmente no Congresso Nacional um Projeto de Lei que cria o Estatuto da Igualdade Racial e prevê a adoção de programas que assegurem vagas para negros em instituições de ensino federais de nível médio e superior. "Acredito que, com o avanço da compreensão quanto à necessidade de superar o racismo, as universidades federais do Rio de Janeiro deverão aderir a esta questão. O saldo final da aprovação do Projeto de Lei não será apenas o aumento do número de negros nas universidades brasileiras. Será também a democratização do sistema educacional brasileiro, que sempre reservou aos negros e pobres, em geral, uma educação de inferior qualidade. Obviamente, com uma melhor formação, a população negra terá melhores possibilidades para assumir posições mais qualificadas no mercado de trabalho e assim superar em parte os obstáculos que são impostos pelo racismo", complementa. Mas, apesar dos avanços, as desigualdades ainda persistem no ensino superior. "A Fundação Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) revela que 12,6% da população branca acima de 25 anos concluiu o curso superior. Dentre os negros a taxa é de 3,9%. Em 2007, os dados coletados pelo censo do ensino superior indicavam a freqüência de 19,9% de jovens brancos entre 18 e 24 anos no ensino superior. Já para os negros, o percentual é de somente 7%", frisa Edson Santos. De acordo com o ministro, porém, apesar das diferenças, muitos avanços podem ser comemorados neste dia 20, como a assinatura, pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de 31 novos títulos de propriedade das terras ocupadas por comunidades quilombolas; e os avanços na tramitação do Estatuto da Igualdade Racial no Congresso Nacional. "Cabe ainda ressaltar outras conquistas recentes da luta contra o racismo e a discriminação racial no Brasil, como a melhoria do acesso da população negra à educação, graças a iniciativas como o Programa Universidade para Todos (ProUni) que, desde 2005, destinou 46,45% das suas bolsas a alunos negros em universidades particulares, além da criação de políticas de cotas raciais", destaca o dirigente.

Barreiras a serem superadas na Educação Básica

Como, na opinião do próprio governo federal, ainda existem muitas barreiras a serem superadas, a educação básica pode ter um papel fundamental no processo de inclusão. Em 2003 foi aprovada no Congresso Nacional a Lei nº 10.639, que altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), e torna obrigatório o ensino de História e Cultura da África e das populações negras brasileiras nas escolas de ensino fundamental e médio de todo o país. "É uma medida importante, por referendar os alunos de outras matrizes raciais, para elevar-lhes a auto-estima, combater o racismo, fazer com que haja mais respeito à diversidade e tornar a escola mais identificada com os alunos negros", ressalta o ministro. Paulo Roberto Santos, presidente do Conselho Estadual dos Direitos dos Negros (Cedine) - vinculado à Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos do governo do Estado do Rio de Janeiro - defende a garantia de vagas em instituições de qualidade como os colégios de aplicação, Pedro II e escolas técnicas "É preciso garantir uma educação de qualidade desde o ensino fundamental. Com isso, futuramente a reserva de vagas nas universidades se tornará desnecessária. Hoje, nas escolas públicas do município e do estado temos um grande número de negros, mas isso não acontece nas instituições onde há um ensino de excelência, aquelas em que há um processo seletivo rigoroso. Precisamos mudar esta realidade."
Faetec reserva vagas para negros - A Fundação de Apoio à Escola Técnica do Rio de Janeiro (Faetec) é a única instituição do estado que reserva parte de suas vagas para alunos carentes, o que inclui negros. Mas se depender de militantes do movimento pela igualdade racial, o número de alunos negros em escolas que oferecem um ensino básico de qualidade deve aumentar. A Educafro-Rio, em parceria com a Pontíficia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), planeja implementar cursos pré-técnicos comunitários que irão preparar os jovens para disputar vagas em escolas técnicas e outras do ensino básico. "O objetivo é fazer a inclusão do aluno negro e pobre em escolas de qualidade. Assim, quando chegarem na universidade, eles não serão discriminados", diz Samantha Alves Brandão, coordenadora da Educafro-Rio. Segundo Samantha, a igualdade racial é uma meta que, para ser alcançada, precisa começar junto com a formação do cidadão.
"Isso deve ocorrer junto com o processo educacional. A maioria dos livros didáticos e outros espaços de construção do conhecimento não retratam a pessoa negra como agente da sua própria história. Pouco se fala sobre os episódios de resistência durante o período da escravidão ou após a Abolição. O negro aparece como serviçal, aquele que ocupa sempre as posições menos prestigiadas socialmente. Isso reforça opiniões e imagens estereotipadas, que afetam e agem sob indivíduos – negros ou não – na formação de pré-conceitos, como o da inferioridade das pessoas negras, estimulando um ideal de embraquecimento" critica a coordenadora, que completa. "È necessário que os livros didáticos retratem as pessoas negras de modo a influenciar positivamente na percepção e formação dos conceitos do aluno branco e negro", afirma Samantha. De acordo com Paulo Santos é preciso tratar a desigualdade com políticas acertadas. "Somente a educação é libertária. Por isso, precisamos investir em escolas básicas de qualidade para os negros. Só assim, conseguiremos atingir a igualdade racial."
Comemorações por todo o estado - Pela primeira vez os governos estadual e municipal, junto com a Câmara dos Deputados, a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) e representantes da sociedade civil se uniram para organizar uma Agenda Única para o mês da Consciência Negra. As comemorações, que começaram no dia 5 de novembro, se estendem até o próximo dia 30, em vários pontos da cidade, com a realização de shows, seminários, palestras, exibição de filmes e outros eventos. "O objetivo é somar forças para superar os desafios do preconceito e da exclusão", explica Paulo Roberto Santos, presidente do Cedine. Nesta quinta, 19, a programação é a seguinte: das 12 às 18, inauguração do Centro de Referência da História da África e das Comunidades de Santa Tereza, no Colégio Estadual Monteiro de Carvalho, em Santa Tereza; das 18 às 21 horas, show e bate papo com a cantora e compositora Leci Brandão, no Circo Voador, nos Arcos da Lapa; das 22 às 4 horas, apresentação de "A noite da deusa Ébano", com o grupo Afro Orunmilá, na Escola de Samba Estácio de Sá, no Catumbi. Em Barra Mansa haverá, a partir das 19 horas, a cerimônia de entrega de certificados e medalha de mérito Zumbi dos Palmares, na Câmara Municipal.
Na sexta, 20, a programação é extensa. No Monumento de Zumbi dos Palmares, na Praça XI, as atividades começam às 6h30, com a lavagem do Busto de Zumbi com Afoxé Filhos de Gandhi, e prosseguem durante todo o dia. Arlindo Cruz e sua banda se apresentarão às 16 horas. A Estação Primeira de Mangueira, às 17 horas, encerra as atividades no Monumento de Zumbi . A agenda única termina no dia 30, com o "Seminário sobre Educação e Cultura Negra", que acontecerá das 17 às 21 horas, no auditório 13 da Uerj, campus Maracanã. A agenda de atividades completa pode ser encontrada no site da Cedine.

(Extraído do site Clipping Educacional - Folha Dirigida, 19/11/2009 - Rio de Janeiro RJ - Andréa Antunes)

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

MEC Seleciona Professores para Corrigir Redação do Enem 2009


O Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), autarquia do MEC (Ministério da Educação), está cadastrando professores de língua portuguesa para corrigir as redações do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2009. Os interessados devem se inscrever até as 23h59 do próximo domingo (15), no site do Inep.

Para se tornar um corretor é preciso ter pelo menos dois anos de experiência como professor e curso superior em Letras - Língua Portuguesa. Quem tiver cônjuge, filho, dependente legal ou qualquer outro parente de primeiro grau participando do Enem 2009 não pode se inscrever. A seleção será feita pelo Cespe (Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília), um dos organizadores do evento. Será necessário, em uma segunda fase, enviar documentos para comprovar as informações prestadas durante a inscrição.

O Inep quer construir um banco unificado de corretores de redação com mais de 5 mil professores cadastrados. Os selecionados vão passar por um treinamento em várias cidades, entre elas, Brasília, Rio de Janeiro e Fortaleza.

As redações serão corrigidas por um sistema online. Todas elas serão levadas a Brasília e escaneadas com um código de identificação. Cada texto passará por dois corretores. Se as notas estiveram muito discrepantes, um terceiro professor fará a avaliação.

(Amanda Cieglinski da Agência Brasil - Em Brasília DE - Site do UOL Educação)

Aprendizado dos Filhos Preocupa Menos os Pais do que Vaga na Escola e Transporte, Mostra Pesquisa


Uma pesquisa para verificar a participação dos pais na educação de seus filhos constatou que o aprendizado preocupa bem menos do que fatores como a competência dos professores, a existência de vagas em creches e escolas e de transporte gratuito.

A pesquisa, que foi divulgada nessa quarta-feira pelo movimento Todos pela Educação, revelou que apenas 14% dos pais que moram em nove regiões metropolitanas do Brasil e 11% em cidades do interior consideram a aprendizagem a questão mais importante quando se pensa na educação no Brasil.

A competência e a motivação dos professores foi considerado o fator primordial da educação (opinião de 26% dos entrevistados das regiões metropolitanas e de 25% dos pais que moram em cidades do interior).

Para Mozart Neves Ramos, presidente executivo do Todos pela Educação, isso pode ser considerado uma dicotomia já que, apesar de se mostrarem preocupados com a valorização do professor, os pais não "entendem que, se a criança não está aprendendo, de certa maneira o processo está incompleto".

"O degrau mais importante é que a criança aprenda e o aluno esteja aprendendo", afirmou ele, em entrevista na noite de ontem à Agência Brasil. Ele participou em São Paulo do lançamento da campanha "Eu, Você, Todos pela Educação", que pretende estimular e ampliar a participação da família na educação dos seus filhos, que está sendo divulgada em vários veículos de comunicação e também em jogos do Campeonato Brasileiro de futebol.

"Não dá para dizer que isso é desinformação das pessoas. Acho que as pessoas enxergam primeiro aquilo que lhes aperta mais o calo", afirmou Ana Lucia Lima, diretora executiva do Instituto Paulo Montenegro, que ajudou a organizar a pesquisa.

Segundo ela, enquanto a existência de vagas e a qualidade do transporte forem problemas, "eles vão enxergar isso mesmo". Para ela isso é um sinal de que também é necessário debater essas questões materiais, reforçando que elas são essenciais para garantir o aprendizado.

A pesquisa foi desenvolvida pelo Ibope, por telefone, com 1.350 pessoas de nove regiões metropolitanas brasileiras - Bahia, Ceará, Pernambuco, Distrito Federal, Paraná, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo - e de alguns municípios com mais de 50 mil habitantes. Os dados do Ibope integram uma pesquisa mais ampla sobre o universo da educação, que deverá ser divulgada no próximo mês.

Segundo Priscila Cruz, diretora executiva do Todos pela Educação, o movimento também já estuda uma nova ação a ser desenvolvida durante a campanha eleitoral do próximo ano, como tentativa de dar à educação posição de destaque na agenda política dos candidatos e dos eleitores.

"Educação de qualidade não é uma dádiva, não é um presente ou algo que a gente vai agradecer por ter uma vaga na escola. É obrigação termos vaga na escola e qualidade na educação. E isso significa o aluno aprender".

(Elaine Patricia Cruz da Agência Brasil - Em São Paulo 12/11/2009) Site do UOL Educação

Projeto de Lei que Institui o 14º Salário para Profissionais da Educação Básica da Rede Pública de Ensino


Em São Paulo A Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado aprovou nesta terça-feira (10) um projeto de lei que institui o 14º salário para profissionais da educação básica da rede pública de ensino. A proposta seguirá para análise da Comissão de Assuntos Econômicos e depois, para a Comissão de Assuntos Sociais.Se for aprovada nas duas próximas comissões, será enviada para a análise da Câmara dos Deputados.A medida é de autoria do senador Cristovam Buarque (PDT-DF) e teve como relator o senador Marconi Perillo (PSDB-GO), autor do substitutivo que obteve a aprovação.De acordo com o projeto, para ter direito ao 14º salário em dezembro, os profissionais da educação básica pública precisam elevar o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica de sua escola em pelo menos 50%. O benefício também será pago aos profissionais que alcançarem o Ideb igual ou superior a sete. O projeto ainda estabelece que o pagamento do 14º salário deverá ocorrer até o final do semestre subsequente ao da publicação dos resultados do Ideb.Na discussão do projeto, Cristovam explicou que a medida não cria competição entre os professores, pois serão beneficiados todos os docentes da escola que cumprir a exigência de elevação do Ideb."O que vai ocorrer é uma cobrança de uns professores sobre os outros" disse, citando como exemplo a pressão que deverá ocorrer sobre professores que faltam muito e que, com esse comportamento, poderão prejudicar os demais.



(Da Redação de informações da Agência Senado)

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

CONCURSOS PARA PROFESSORES DE CEIs E EMEIs


SERÃO REALIZADOS EM FEVEREIRO E MARÇO

A Secretaria Municipal de Educação publicou nas páginas 37 a 45 do Diário Oficial da Cidade desta sexta-feira, 06 de novembro, os editais dos concursos de ingresso para o provimento dos cargos de professor de educação infantil e de professor de educação infantil e ensino fundamental I, organizados pela Fundação Carlos Chagas.

As inscrições serão feitas pela Internet, das 10h do dia 30 de novembro às 14 horas do dia 11 de dezembro, ou via banco, no mesmo período. A taxa é de R$ 45,00.

São 818 vagas para professor de educação infantil e ensino fundamental I e 467 vagas para professor de educação infantil.
As provas para os cargos de professor de educação infantil e ensino fundamental I estão previstas para serem aplicadas no dia 28 de fevereiro de 2010. Já os candidatos aos cargos de professor de educação infantil farão as provas no dia 07 de março de 2010.
As provas de conhecimentos gerais e de conhecimentos específicos, ambas eliminatórias e classificatórias, serão compostas de 30 questões objetivas cada. As dissertativas terão duas questões e as objetivas serão compostas por questões de múltipla escolha.

ALTERAÇÃO DA DATA ATENDE À REIVINDICAÇÃO DO SINPEEM

No mês passado, em reunião com o presidente do SINPEEM, Claudio Fonseca, o secretário Municipal de Educação, Alexandre Schneider, anunciou que os concursos seriam realizados em janeiro de 2010.
O SINPEEM se posicionou contra e iniciou negociação com a SME para postergar a data para não prejudicar os profissionais de educação, que teriam pouco tempo para se prepararem para as provas.
O presidente do sindicato insistiu e a SME acabou recuando da decisão e alterando as datas para os meses de fevereiro e março. Vitória do SINPEEM.
Com isso a categoria ganha fôlego, após o período de férias, para estudar e se preparar para as provas. A categoria precisa de um prazo maior para se preparar de forma adequada para o concurso, afirmou Claudio Fonseca.

CURSO PREPARATÓRIO

A exemplo de concursos anteriores, o SINPEEM já começou a se organizar para promover o curso preparatório, destinado aos seus associados.
As informações sobre o curso serão divulgadas no site do sindicato, enviadas por carta, newsletter, mural, jornal e demais informativos do sindicato.

EDITAIS ESTÃO DISPONÍVEIS NO SITE DO SINPEEM

Os editais, disponíveis no site do SINPEEM (
www.sinpeem.com.br), devem ser lidos com bastante atenção. Neles estão todas as informações necessárias, desde inscrições, prazos, recursos, direitos e deveres dos candidatos.
Veja a íntegra dos editais:
Concurso de ingresso professor de educação infantil e ensino fundamental I:
http://www.sinpeem.com.br/lermais_materias.php?cd_materias=3579
Concurso de ingresso professor de educação infantil: http://www.sinpeem.com.br/lermais_materias.php?cd_materias=3580


(INFORMATIVO SINPEEM - 06/11/2009 )

Escolha / Atribuição 2010


As negociações do sindicato com a SME para fixação da pontuação e procedimentos para o processo de escolha/atribuição para 2010 continuam.


O SINPEEM está discutindo com o governo todos os detalhes da Portaria para evitar que quaisquer profissionais sejam prejudicados.


Assim que tivermos uma posição concreta, informaremos a categoria.

Custo de Vida Subiu 0,53% em Outubro


Pesquisa divulgada pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) aponta alta de 0,53% do custo de vida no mês de outubro, em São Paulo.


De acordo com o Dieese, os grupos transporte (1,59%), habitação (0,62%) e saúde (0,59%) foram os que mais pressionaram a alta.


Alimentação e vestuário também tiveram variações positivas de 0,15% e 0,19%, respectivamente. O aumento de preços dos combustíveis (4,02%) também colaborou para a alta do grupo que mais variou – o álcool variou 12,87% e a gasolina 1,41%.

Entre janeiro e outubro, o Índice de Custo de Vida (ICV) registrou variação positiva de 3,34%. O grupo que mais variou foi o de despesas pessoais (10,93%).


Já entre as baixas, foram registradas taxas negativas para os grupos vestuário (-2,40%) e equipamentos domésticos (56%).


Em 12 meses, a inflação registrada é de 4%. As maiores altas ficaram por conta dos grupos despesas pessoais (11,60%), educação e leitura (7,46%), habitação (5,63%) e saúde (4,15%).


(INFORMATIVO SINPEEM - 06/11/2009)

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Grammy Latino 2009 - Indicados e Vencedores!


Os Ganhadores da Noite de 05/11/2009


Parabéns a todos os ganhadores!!!
É sempre bom lembrar que numa premiação dessa importância o que é valorizado é a qualidade, principalmente nas categorias principais. Portanto, vendagem de disco é secundária!

GRAVAÇÃO DO ANO

Os grandes favoritos da categoria são as canções de Ivan Lins (que tem muita tradição na premiação, um dos poucos brasileiros que são favoritos sempre, apesar de eu não gostar de sua música, é um cantor de qualidade e bem mais respeitado no exterior) e de Luis Fonsi (que a muito tempo vem merecendo ganhar nas categorias principais, pois em 2008 o ano foi dele). Pode aparecer como surpresa Laura Pausini, que é outra que já vem a algum tempo merecendo um dos prêmios principais. Se ser popular é um ponto positivo, "Calle 13" ganha. Pois é! Calle 13... Uma pena.

No Hay Nadie Como Tu
Calle 13 Featuring Café Tacvba [Norte/Sony Music Entertainment]

Aqui Estoy Yo
Luis Fonsi con Aleks Syntek, Noel Schajris y David Bisbal [Universal Music Latino]

Arlequim Desconhecido
Ivan Lins & The Metropole Orchestra [Biscoito Fino]

Si No Vas A Cocinar
José Lugo Orchestra Featuring Gilberto Santa Rosa [Norte/Caminalo
Discos/SonyBMG Music Entertainment]

En Cambio No
aura Pausini [Warner Music Latina]

CANÇÃO DO ANO

Essa categoria tem tudo para dar somente Luis Fonsi, é o grande favorito. Se fosse para eu escolher o vencedor com certeza faria Luis Enrique ganhar o prêmio, adoro a canção "Yo No Se Mañana". Ele, aliás, voltou a posição #1 na Latin Billboard depois de 15 anos. Se aparecer alguma zebra, seria Alejandro Lerner. "Yo No Sé Mañana" levou o prêmio de melhor canção Tropical. Quem levou nessa categoria foi o favoritissimo Luis Fonsi.

Aqui Estoy Yo
Luis Fonsi con Aleks Syntek, Noel Schajris y David Bisbal [Universal Music Latino]

Día Tras Día
Yoel Henríquez & Jorge Luis Piloto, songwriter (Andrés Cepeda) [FM Discos & Cintas]
Me Fui
ebe & Carlos Jean, songwriter (Bebe) [EMI Music Spain]
Verte Sonreir
Alejandro Lerner, songwriter (Alejandro Lerner) [El Pie Records]

Yo No Se Mañana
Jorge Luis Piloto & Jorge Villamizar, songwriter (Luis Enrique) [Top Stop Music]

ÁLBUM DO ANO

Não sei porque, não consigo apostar no grupo Calle 13, pois populares eles são, mas qualidade que é bom... De novo, Ivan Lins e Luis Enrique são os favoritos. Se aparecer alguma surpresa, será a argentina Mercedes Sosa.

Los De Atrás Vienen Conmigo
Calle 13 [Norte]

Día Tras Día
Andrés Cepeda [FM Discos & Cintas]

Ciclos
Luis Enrique [Top Stop Music]

Regência: Vince Mendoza
Ivan Lins & The Metropole Orchestra [Biscoito Fino]

Cantora 1
Mercedes Sosa [Sony Music/RCA]

MELHOR ÁLBUM VOCAL POP FEMININO

Há três favoritas na categoria: Natalia Lafourcade (adoro essa cantora pop), Amaia Montero e Laura Pausini (a grande favorita das três). Como já esperávamos, Laura Pausini levou!

Día Azul
Jimena Ángel [Universal Music Group]

Hu Hu Hu
Natalia Lafourcade [Sony Music]

Amaia Montero
Amaia Montero [Ariola/Sony BMG Music Entertainment]

Primavera Anticipada
Laura Pausini [Warner Music Latina]

Aire
Luz Rios [LCR Records]

MELHOR ÁLBUM VOCAL POP MASCULINO

Nessa categoria não deve haver surpresas, pois Fito Paez e Alex Ubago são os grandes favoritos. Se algum dos outros indicados ganharem será zebra. Fito Paez!

Día Tras Dia
Andrés Cepeda [FM Discos & Cintas]

Te Acuerdas...
Francisco Céspedes [Warner Music Mexico]

Malditas Canciones
Coti [Universal Music Group]

No Sé Si Es Baires o Madri
Fito Paez [RCA]

Calle Illusión
Alex Ubago [Dro/Warner Music Spain]

MELHOR ÁLBUM CANTOR/COMPOSITOR

Essa é uma das categorias que sempre terão como favoritos os brasileiros Caetano Veloso e Tom Zé, como os mexicanos Ricardo Arjona (o grande favorito dentre todos) e Franco De Vitta. Como eu já esperava!

5to Piso
Ricardo Arjona [Warner Music Mexico]

Simplemente La Verdad
Franco De Vita [Norte/SonyBMG Music Ent.]

A Las Buenas Y A Las Malas
Rosana [Warner Music Spain]

Zii e Zie
Caetano Veloso [Mercury Records/Universal Music]

Estudando a Bossa - Nordeste Plaza
Tom Zé [Biscoito Fino]

MELHOR ÁLBUM CRISTÃO EM PORTUGUÊS

Se Régis Danese não ganhar esse prêmio... não sei mais o que pensar. O cara fez sucesso até entre os católicos, deixando de fora uma rixa boba entre seguidores fanáticos das duas religiões, que pensam que música evangélica é só para os evangélicos.Mas, Oficina G3 também poderá ganhar. Os fãs do Oficina G3 foram pé quentes! Parabéns a banda!

Compromisso
Regis Danese [Line Records]

Eu Não Vou Parar
Marina de Oliveira [MK Music]

Eu Tenho A Promessa
Jozyanne [MK Music]
Depois Da Guerra
Oficina G3 [MK Music]

André Valadão [Graça Music]

MELHOR ÁLBUM POP CONTEMPORÂNEO BRASILEIRO

Essa categoria brasileira é dominada pelo Rock, apesar de ser entiluada de Pop. Os grandes favoritos são Skank e Jota Quest. Como zebra citaria o fraco álbum "Pode Entrar" de Ivete Sangalo e "Em Londres" do grupo Roupa Nova. Roupa Nova!!! Infelizmente eles não estiveram na Academia para receber o prêmio... creio que nem eles acreditaram... será?

La Plata
Jota Quest [Sony BMG Music Entertainment]

Multishow Ao Vivo
Rita Lee [Biscoito Fino/Multi Show]

Em Londres
Roupa Nova [Roupa Nova Music]

Pode Entrar
vete Sangalo [Caco Discos/Multishow/Universal Music]
Estandarte
Skank [Sony BMG Music Entertainment]

MELHOR ÁLBUM DE ROCK BRASILEIRO

Categoria bem disputada, mas como grandes favoritos o grupo Titãs. A única zebra ocorrerá se os adolescentes do NX Zero levarem o prêmio. Nos demais casos não seria surpresa. Empate!

Cinema
Cachorro Grande [Deckdisc]

Rock 'N' Roll
Erasmo Carlos [Coqueiro Verde Records]

Agora
nx Zero [Arsenal Music/Universal Music]

Tá Tudo Mudando
Zé Ramalho [EMI]
Sacos Plásticos
Titãs [Arsenal Music/Universal Music]

MELHOR ÁLBUM DE MÚSICA POPULAR BRASILEIRA

Só tem fera nessa categoria, com certeza a mais difícil de todas. É muito bom ver Wanderléa voltando com um disco muito bom depois de anos sem gravar. Aponto dois favoritos: Ivan Lins e Zélia Duncan. Essa será uma das poucas categorias que não haverá zebra. Ivan Lins como eu já sabia...
O Coração do Homem-Bomba - Vol. 1
Zeca Baleiro [MZA Music]

Pelo Sabor do Gesto
Zélia Duncan [Universal Music/Mercury Records]

Regência: Vince Mendoza
Ivan Lins & The Metropole Orchestra [Biscoito Fino/Oilua]

Trem da Minha Vida - Ao Vivo
Jorge Vercillo [EMI]
Nova Estação
Wanderléa [Lua Music/ABMI]


Postado por Apolo
do Blog Abril -
Template Rounders modificado por ::Blogger'SPhera::
| 2008 |